VIABILIDADE DO CAPTOPRIL SUBLINGUAL EM CRISES HIPERTENSIVAS

Resumo

A Hipertensão Arterial é uma doença crônica, com origem por vários fatores, hereditários, idade, raça, hábitos alimentares e mobilidades físicas, provocando anomalias nos vasos sanguíneos, provocando uma alteração dos níveis de pressão arterial e muitas vezes provoca crises abruptas das quais retiram o paciente da homeostasia. As alterações dos níveis de pressão, obstruções arteriais, contribuem ao aparecimento de crises hipertensivas, infarto agudo do miocárdio, insuficiência cardíaca congestiva e AVC. Uma das classes indicadas para tratar esta patologia é a classe medicamentosa dos IECA’s, inibidores de angiotensina I e II. O medicamento desta classe mais utilizado é o captopril. Entretanto apesar do medicamento possuir uma forma farmacêutica desenvolvida e fabricada para administração via oral, ele vem sido utilizado a muitos anos pela via sublingual em emergências hipertensivas. Este segmento dá-se devido a sua eficácia significativa através desta via de administração. Após inúmeros testes realizados, pesquisadores acreditam que o medicamento tem efeito superior em relação ao tempo de eficácia, quando comparado a administração do mesmo por via oral. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eli Cristiano de Meneses, Universidade São Francisco

Mestre em Ciências da Saúde

Pós-Graduação Latu Sensu em Quimioterpia

Professor no Curso de Farmácia - Bioquímica aplicada à Clínica, Farmacotécnica, Farmácia Clínica e Hospitalar e Hematologia

Referências

AL-FURAIH TA, et al. Sublingual captopril-a pharmacokinetic and pharmacodynamic evaluation. Eur. J. Clin. Pharmacol. (1991) 40: 393-398.

BLUMENFELD, Jon D. et al. Plasma renin activity in the emergency department and its independent association with acute myocardial infarction. American journal of hypertension, v. 13, n. 8, p. 855-863, 2000.

BRUNTON, Laurence L.; KNOLLMANN, Björn C. As Bases Farmacológicas da Terapêutica de Goodman e Gilman-13. Artmed Editora, 2018.

CHETTY, Dushendra J.; CHEN, Li-Lan H.; CHIEN, Yie W. Characterization of captopril sublingual permeation: determination of preferred routes and mechanisms. Journal of pharmaceutical sciences, v. 90, n. 11, p. 1868-1877, 2001.

DESSI-FULGHERI, P. et al. Comparison of sublingual and oral captopril in hypertension. Clinical and Experimental Hypertension. Part A: Theory and Practice, v. 9, n. 2-3, p. 593-597, 1987.

FRANCO, Roberto JS. Crise hipertensiva definição, epidemiologia e abordagem diagnóstica. Rev Bras Hipertens, v. 9, n. 4, p. 340-5, 2002.

KARAKILIÇ, E. et al. Same effect of sublingual and oral captopril in hypertensive crisis. Eur Rev Med Pharmacol Sci, v. 16, n. 12, p. 1642-5, 2012.

KARLBERG, BengtE et al. Captopril lowers urinary kallikrein in hypertensive patients. The Lancet, v. 315, n. 8160, p. 150-151, 1980.

MARTELLI, Anderson; LONGO, Marco Aurélio Tosta; SERIANI, Cleber. Aspectos clínicos e mecanismo de ação das principais classes farmacológicas usadas no tratamento da hipertensão arterial sistêmica. Estudos de Biologia, v. 30, n. 70/72, 2008.

MOUSAVI M, RAZAVIANZADEH N, ARMIN M, FADAEI DASHTI M. Sublingual Versus Oral Captopril for Decreasing Blood Pressure in Hypertension Urgency: A Randomized Clinical Trial. Iran Red Crescent Med J., 2018.

NARANG, Neha; SHARMA, Jyoti. Sublingual mucosa as a route for systemic drug delivery. Int J Pharm Pharm Sci, v. 3, n. Suppl 2, p. 18-22, 2011.

OIGMAN, Wille. Crise hipertensiva: quando e como abordá-la. Revista da SOCERJ, v. 16, n. 1, p. 52-9, 2003.

RODRIGUES, Cibele I. Saad; ALMEIDA, F. A. Valor e limitações das dosagens de renina plasmática na prática clínica. Rev Bras Hipertens, v. 9, n. 2, p. 203-5, 2002.

SOUZA, Carlos Augusto Vilarim de. Desenvolvimento e caracterização de comprimido gastrorretentivo contendo captopril. 2017.

TSCHOLLAR, W.; BELZ, G. G. Sublingual captopril in hypertensive crisis. The Lancet, v. 326, n. 8445, p. 34-35, 1985.

ZAMPAGLIONE B, PASCALE C; MARCHISIO M, CAVALLO-PERIN P. Hypertensive urgencies and emergencies: prevalence and clinical. Hypertension 1996; 27(1):144-147.

ZERVAKIS, Jennifer; GRAHAM, Brevick G.; SCHIFFMAN, Susan S. Taste effects of lingual application of cardiovascular medications. Physiology & behavior, v. 68, n. 3, p. 405-413, 2000.

Publicado
2020-08-27
Como Citar
Dias, K. G. M., Dietrich, K. A., Pedro, M. C., & de Meneses, E. C. (2020). VIABILIDADE DO CAPTOPRIL SUBLINGUAL EM CRISES HIPERTENSIVAS. Revista Ensaios Pioneiros, 4(1), 34-40. https://doi.org/10.24933/rep.v4i1.217
Seção
CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE

DB Error: Table 'ojs3_ensaiospioneiros.funders' doesn't exist