AVALIAÇÃO DO CONHECIMENTO DOS PROFISSIONAIS DA SAÚDE COM RELAÇÃO AO PLANO DE PARTO

Resumo

O conceito de humanização da assistência ao parto inclui vários aspectos. Alguns estão relacionados a uma mudança na cultura hospitalar, com a organização de uma assistência realmente voltada para as necessidades das mulheres e suas famílias. Portanto, a atuação do profissional que respeite os aspectos de sua fisiologia, não intervenha desnecessariamente, reconheça os aspectos sociais e culturais do parto e nascimento, e ofereça o necessário suporte emocional à mulher e sua família é de suma importância. O plano de parto é um documento escrito em que a gestante, após receber as informações durante o período pré-natal sobre a gravidez e o processo de parto, descreve seus objetivos e desejos pessoais sobre o seu parto, que devem ser seguidas dentro das possibilidades de boa prática e quadro clínico da gestante. Portando o objetivo é avaliar a conduta dos profissionais da saúde com relação ao plano de parto. Foi realizada uma pesquisa prospectiva e de natureza descritiva para o levantamento de como os profissionais se comportam com relação a informações e esclarecimento sobre o plano de parto. Dos profissionais entrevistados 80% relatam saber o que é o plano de parto, porém 20% relatam que obtiveram alguma informação sobre o mesmo. 55% dos entrevistados dizem que o plano de parto é sugerido no pré-natal, no entanto 40% questionam a gestante para saber se ela o possui. Portanto, verificou a necessidade de estratégias que visem a implementação de um plano de parto melhorando assim a qualidade de vida da gestante e do bebê.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BARROS, A. P. Z.; LIPINSKI, J. M.; SEHNEM, G. D.; RODRIGUES, A. N.; SILVA ZAMBIAZI, E. Conhecimento de enfermeiras sobre plano de parto. Rev Enferm UFSM. 7(1):69-79, 2017.

COSTA, F. D.; AZEVEDO, R. C. S. Empatia, Relação médico-paciente e formação em medicina: um olhar qualitativo. Rev Bras Educ Med. 34(2):261-269, 2010.

DIVALL, B.; SPIBY, H.; NOLAN, M.; SLADE, P. Plans, preferences or going with the flow: an online exploration of women’s views and experiences of birth plans. Midwifery. 54:29-34, 2017.

HIDALGO-LOPEZOSA, P.; HIDALGO-MAESTRE, M.; RODRÍGUEZ-BORREGO, M. A. Birth plan compliance and its relation to maternal and neonatal out-comes. Rev Latinoam Enferm. 25:e2953, 2017.

PORTO, C. C.; BRANCO, R. F. G. R.; OLIVEIRA, A. M. Relação médico paciente. In: Porto CC. Semiologia médica. 4a ed. São Paulo: Guanabara Koogan; p 22-39, 2001.

RIBEIRO, R. P.; MARTINS, J. T.; MARZIALE, M. H. P.; ROBAZZI, M. L. C. C. Work-related illness in nursing: an integrative review. Rev Esc Enferm USP. 46(2):495-504, 2012.

SANTOS, C. M. Os instrumentos e técnicas: mitos e dilemas na formação profissional do assistente social no Brasil. 2006. Tese (Doutorado em Serviço Social) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Escola de Serviço Social, Programa de Pós-graduação em Serviço Social, Rio de Janeiro: UFRJ, 2006.

SUÁREZ-CORTÉS, M.; ARMERO-BARRANCO, D.; CANTERAS-JORDANA, M.; MARTÍNEZ-ROCHE, M. E. Uso e influencia de los planes de parto y nacimiento en el proceso de parto humanizado. Rev Latino Am Enferm. 23:520-526, 2015.

MEI, J. Y.; AFSHAR, Y.; GREGORY, K. D.; KILPATRICK, S. J.; ESAKOFF, T. F. Birth plans: what matters for birth experience satisfaction. Birth. 43(2):144-50, 2016.

WHITFORD, H. M.; ENTWISTLE, V. A.; VAN TEIJLINGEN, E.; AITCHISON, P. E.; DAVIDSON, T.; HUMPHREY, T.; TUCKER, J. S. Use of a birth plan within woman-held maternity records: a qualitative study with women and staff in northeast Scotland. Birth. 41(3):283-289, 2014.

Publicado
2020-08-27
Como Citar
Rosa, E. C. dos S., Almeida, L. G. Z., Moreira, F. da S., Machado, D., & Souza, S. A. de. (2020). AVALIAÇÃO DO CONHECIMENTO DOS PROFISSIONAIS DA SAÚDE COM RELAÇÃO AO PLANO DE PARTO. Revista Ensaios Pioneiros, 4(1), 25-33. https://doi.org/10.24933/rep.v4i1.214
Seção
CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE