A IMPORTÂNCIA DA ATENÇÃO FARMACÊUTICA FRENTE A NÃO ADESÃO AO TRATAMENTO E A RESISTÊNCIA VIROLÓGICA AO HIV

  • Diogo Rodrigues Machado
  • Jéssica Mendonça Oliveira
  • Natália Franco Taketani Universidade São Francisco

Resumo

A síndrome da imunodeficiência humana (AIDS) foi elucidada e descrita primeiramente nos Estados Unidos em 1981. A infecção pelo vírus HIV e a síndrome da imunodeficiência adquirida (AIDS), designada como HIV/AIDS, constituem uma doença infectocontagiosa de grande desafio para a saúde pública mundial. Com o emprego da terapia antirretroviral ficou mais esclarecido a caracterização da AIDS como doença crônica, através da administração de inibidores da Transcriptase Reversa, Protease e Integrase numa terapia conhecida por Terapia Antirretroviral Altamente Ativa (HAART). Com o emprego imediato da Terapia Antirretroviral (TARV, que consiste no tratamento do HIV a partir da administração de diferentes classes de antirretrovirais imunomoduladores e imunoestimuladores) na população de pessoas vivendo com HIV a qualidade e expectativa de vida desses indivíduos aumentou significativamente, porém algumas barreiras podem ser observados durante esse processo de tratamento dentre eles a falha virológica, ou seja, a resistência do HIV frente aos antirretrovirais e a falta de adesão ao tratamento por motivos diversos .Visto que grande parte desses problemas podem ser resolvidos com a informação certa, o profissional farmacêutico deve contribuir com seu conhecimento. Orientando de forma clara e objetiva, abordando com o paciente seus hábitos cotidianos como uso de álcool e drogas, expondo de maneira honesta quais as consequências desses e de outros hábitos, dessa maneira o profissional contribui para a criação de vínculo com o paciente, criando para o paciente um ambiente mais confortável para tomar decisões e encontrar maneiras realistas de enfrentar suas fragilidades relacionados às IST/HIV/Aids, contribuindo para a qualidade das ações educativas em saúde. O presente trabalho analisou com base em bibliografias anteriores dados qualitativos referente a não adesão ao tratamento entre pessoas vivendo com HIV, e elucidou  o papel e a importância do profissional farmacêutico nesse cenário.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANDERSON, P. L.; KAKUDA, T. N.; FLETCHER, C. V. In Pharmacotherapy: A Pathophysiologic Approach; DIPIRO, J. T.; TALBERT, R. L.; YEE, G. C.; MATZKE, G. R.; WELLS, B. G.; POSEY, L. M. eds.; McGraw Hills Publishers: Australia, 2065-2084p. 7th ed, 2008.

ARAÚJO, P. S., et al. Pharmaceutical care in Brazil’s primary health care. Revista de Saúde Pública, São Paulo, v. 51, n. 2, 1s-11s, 2017.

ARAÚJO, S. Q., et al. Organização dos serviços farmacêuticos no Sistema Único de Saúde em regiões de saúde. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 22, n. 4, p. 1.181- 1.191, 2017.

ARRIBAS, JR., et al. Tenofovir disoproxil fumarate, emtricitabine, and efavirenz compared with zidovudine/lamivudine and efavirenz in treatment-naive patients: 144-week analysis. J Acquir Immune Defic Syndr; 47(1):74–78 2008.

BEAUDRAP, P., et al. Long-term efficacy and tolerance of efavirenz- and nevirapine-containing regimens in adult HIV type 1 Senegalese patients. AIDS Res Hum Retroviruses; 24(6):753–760. 2008.

BEMELMANS, M, BAERT, S., NEGUSSIE, E., BYGRAVE, H., BIOT, M., JAMET. C., et al. Sustaining the future of HIV counselling to reach 90-90-90: a regional country analysis. Journal of the International AIDS Society, 2016;19:20751

Boletim Epidemiológico | Secretaria de Vigilância em Saúde | Ministério da Saúde Número Especial | Dez. 2019

BORGES, M. J. L., SAMPAIO, A. S., GURGEL, I. G. D. Trabalho em equipe e interdisciplinaridade: desafios para a efetivação da integralidade na assistência ambulatorial às pessoas vivendo com HIV/Aids em Pernambuco. Ciênc Saúde Coletiva, v. 17, n. 1, p. 147-56, 2012.

CASTAGNA, A., et al. Dolutegravir in antiretroviral-experienced patients with raltegravir- and/or elvitegravir-resistant HIV-1: 24-week results of the phase III VIKING-3 study. J Infect Dis; 210(3):354–362. 2014.

CHEN, Z., et al. Genetic Characterization of New African Simian Immunodeficiency Virus SIVsm: Geographic Clustering of Household - Derived SIV Strains with Human Immunodeficiency Virus Type2 Subtypes and Genetically Diverse Viruses from a Single Feral Sooty Mangabey Troop J. Virol., pp. 6(70): 3617-3627, 1996.

COSTINIUK CT., et al. . Discontinuation of Pneumocystis jirovecii pneumonia prophylaxis with CD4 count <200 cells/microL and virologic suppression: a systematic review. PLoS One. ;6(12):e28570. doi:10.1371/journal.pone, 2011.

COUTINHO, M. F. C., O´DWYER, G., E FROSSARD, V. Tratamento antirretroviral: adesão e a influência da depressão em usuários com HIV/Aids atendidos na atenção primária. Saúde debate 42 (116) Jan-Mar 2018.

DE SOUZA NEVES, D. B., PINA, J. Assistência farmacêutica no SUS: Os desafios do profissional farmacêutico. SAÚDE & CIÊNCIA EM AÇÃO, v. 1, n. 1, p. 83-104, 2016.

ERON, JJ., et al. Efficacy and safety of raltegravir for treatment of HIV for 5 years in the BENCHMRK studies: final results of two randomised, placebo-controlled trials. Lancet Infect Dis; 13(7):587–596. 2013.

GALLANT, JE., et al. Tenofovir DF, emtricitabine, and efavirenz vs. zidovudine, lamivudine, and efavirenz for HIV. N Engl J Med. 354(3):251– 260. 2006;

GARBIN, C. A. S., GATTO, R. C. J., GARBIN, A. J. I. Adesão à terapia antirretroviral em pacientes HIV soropositivos no Brasil: uma revisão da literatura. Arch Health Invest., 6 (2): 65-70, 2017

GOMES, R. R. F. M. et al. Utilização dos registros de dispensação da farmácia como indicador da não-adesão à terapia antirretroviral em indivíduos infectados pelo HIV. Cadernos de Saúde Pública – Rio de Janeiro, v.25, n.3, 2009

GRINSZTEJN, B., et al. Raltegravir for the treatment of patients co-infected with HIV and tuberculosis (ANRS 12 180 Reflate TB): a multicentre, phase 2, non-comparative, open-label, randomised trial. Lancet Infect Dis; 14(6):459–467. 2014.

HERNANDEZ, A.L., et al. HIV Integrase Genotypic Testing and Resistance in the United States—9 U.S. Jurisdictions. :Abstract 478. CROI 2017.

JORGE, J.L.Z. Genotipagem do VIH e Análise de Resistência à Droga dos Seropositivos da Guiné –Bissau. Dissertação de Mestrado em Mestrado em Biologia Molecular e Genética – Universidade de Lisboa. 2015.

MS. Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das Infecções Sexualmente Transmissíveis, do HIV/Aids e das Hepatites Virais. Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas para Manejo da Infecção pelo HIV em adultos. 412 p. Brasília, 2018

OJEWOLE, E; et al. Exploring the use of novel drug delivery systems for antiretroviral drugs. European Journal of Pharmaceutics and Biopharmaceutics.vol 70, p 697-710. 2008.

PATERSON, D.L., POTOSKI, B., CAPITANO, B. Measurement of adherence to antiretroviral medications. Journal of acquired immune deficiency syndromes. 2002; 31: 103-106.

RAMJAN, R., et al. Systematic review and meta-analysis: Patient and programme impact of fixed-dose combination antiretroviral therapy. Trop Med Int Health; 19(5):501–513. 2014.

REMOR, E., MILNER-MOSKOVICS, J., PREUSSLER, G. Adaptação brasileira do “Cuestionario para La Evaluación de La Adhesión al Tratamiento Antirretroviral”. Rev Saúde Pública. 2007; 41(5): 685-694.

ROCKSTROH, J., et al. Safety and efficacy of raltegravir in patients with HIV-1 and hepatitis B and/or C virus coinfection. HIV Med; 13(2):127– 131. 2012.

SAX, PE., et al. Abacavir-lamivudine versus tenofovir-emtricitabine for initial HIV-1 therapy. N Engl J Med; 361(23):2230–2240. 2009.

SCOTT S. S., et al. Impact of Pill Burden on Adherence, Risk of Hospitalization, and Viral Suppression in Patients with HIV Infection and AIDS Receiving Antiretroviral Therapy. Pharmacotherapy; 36(4):385–401. 2016.

SHARP, P.M.,et al. Origins And Evolution of AIDS Viruses: Estimating The Time-Escale. Biochemical Society, pp. 24,946-950. 2000MS.

SILVA, C, G. S., Specialized assistance service (SAS): a professional experience. Psicologia: Ciência e Profissão, v. 27, n. 1, p. 156-163, 2007.

SILVA, J.A.G. et al. Fatores associados à não adesão aos antirretrovirais em adultos com AIDS nos seis primeiros meses da terapia em Salvador, Bahia, Brasil.Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 31, n. 6, p.1188- 1198, jun, 2015

SMITH, KY., et al. Randomized, double-blind, placebo-matched, multicenter trial of abacavir/lamivudine or tenofovir/emtricitabine with lopinavir/ritonavir for initial HIV treatment. AIDS; 23(12):1547–1556, 2009.

SNEDECOR, SJ., et al. The prevalence of transmitted resistance to first-generation non-nucleoside reverse transcriptase inhibitors and its potential economic impact in HIV-infected patients. PLoS One; 8(8), 2013.

THIEBAUT, R., et al. Association of Soluble CD14 and Inflammatory Biomarkers With HIV-2 Disease Progression. HIV/AIDS, pp. 55,1417-1425, 2012.

WAIN, L.V., et al. Adapttation of HIV-1 to Its Human Host. Mol Biol Evol., pp. 24(8), 1853-1860, 2007.

WALMSLEY, S., et al. Brief Report: Dolutegravir Plus Abacavir/Lamivudine for the Treatment of HIV-1 Infection in Antiretroviral Therapy-Naive Patients: Week 96 and Week 144 Results From the SINGLE Randomized Clinical Trial. J Acquir Immune Defic Syndr; 70(5):515–519, 2015.

Publicado
2020-08-27
Como Citar
Machado, D. R., Oliveira, J. M., & Taketani, N. F. (2020). A IMPORTÂNCIA DA ATENÇÃO FARMACÊUTICA FRENTE A NÃO ADESÃO AO TRATAMENTO E A RESISTÊNCIA VIROLÓGICA AO HIV. Revista Ensaios Pioneiros, 4(1), 14-24. https://doi.org/10.24933/rep.v4i1.213
Seção
CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE

DB Error: Table 'ojs3_ensaiospioneiros.funders' doesn't exist